Aprenda como fazer pós-graduação no exterior agora mesmo

Terminou a graduação e agora pretende expandir ainda mais seus horizontes, por meio de uma pós graduação no exterior? Então, este artigo foi feito para você.

Com o diploma em mãos, é possível ingressar em qualquer universidade do mundo e, assim, conquistar a tão sonhada carreira internacional. Além de vivenciar algo novo, aprimorar o idioma e conhecer novos lugares, culturas e pessoas. Enfim, são muitas as razões para fazer uma pós-graduação no exterior.

No entanto, estudar fora do país requer muita disposição e, sobretudo, planejamento, pois não é fácil escolher entre os diversos tipos de programas disponíveis. Além disso, se preparar para o application é um processo que exige tempo, principalmente se você pretende se candidatar a uma bolsa de estudos.

Sabendo disso, preparamos este artigo com as principais informações para você fazer sua pós-graduação no exterior, especialmente na Austrália. Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe a leitura!

Qual a diferença entre a pós-graduação no Brasil e a do exterior?

A pós-graduação se refere ao curso realizado após a graduação, essa especialização pode ser tecnológica, bacharelado ou licenciatura. No Brasil, existem duas opções de cursos de pós: lato sensu e stricto sensu.

O primeiro é composto por cursos de especialização ou MBA (Master of Business Administration) que seguem um tema ou uma modalidade específica de determinada área. Enquanto o segundo, proporciona um grau acadêmico relacionado à pesquisa e ensino científico, sendo assim, é dividido em duas categorias: mestrado e doutorado.

Diferente do Brasil, os programas de pós-graduação na Austrália apresentam estrutura modular. Em geral, são compostos por 3 módulos, tendo cada um deles uma média de duração de 1 a 3 semestres e a pós-graduação completa varia entre um 1 ano e 6 meses a 2 anos.

Nesse sentido, o acadêmico pode decidir se fará ou não todos os módulos e, assim, receber a certificação referente ao tempo do curso escolhido.

Qual a vantagem de cursar em outro país?

Apesar das dificuldades, como a dificuldade de adaptação, custos elevados e a necessidade de aprender a lidar com a saudade dos familiares e amigos. Estudar fora do Brasil é um objetivo que vale a pena se investido, pois proporciona diversas vantagens para o acadêmico. Para você ter uma ideia, separamos as principais. Veja só!

Reconhecimento internacional

Sim! Ao investir em uma pós-graduação no exterior você abrirá as portas para uma possível carreira internacional. Isso porque, estudar em outro país, além de agregar mais valor ao seu diploma, você terá a chance de amadurecer pessoalmente, ingressar em atividades diferenciadas enquanto estiver fora e enriquecer sua carreira profissional.

Por esse motivo, se você pensa seriamente em uma mudança definitiva, a graduação sanduíche pode ser a escolha certa, pois essa modalidade tem o objetivo de habilitar o acadêmico em exercer, posteriormente, sua função no exterior, além de valorizar o currículo daqueles que pretendem permanecer no país.

Ganhar mais experiência internacional

Sem dúvidas as experiências internacionais são repletas de descobertas e novidades e, por isso, é vista como uma ótima maneira de crescer tanto pessoalmente (conhece novas pessoas e fazer amizades) quanto profissionalmente.

Afinal, viver um determinado tempo em outro país permite mergulhar em uma cultura totalmente diferente da sua e sentir na pele um misto de empolgação e expectativa por estar conhecendo de perto a história e os costumes de outra nação.

Além disso, com o passar do tempo, essa experiência vai se tornar uma lembrança suficientemente forte para mudar a forma como você vê o mundo.

Conhece a cultura de outro país

Como deu pra perceber, ter a chance de conhecer novos lugares é uma das principais vantagens de se fazer uma pós-graduação no exterior, uma vez que os passeios também fazem parte da experiência de um intercâmbio. Além de ser uma solução para distrair e desestressar, tanto as viagens quanto os passeios contribuem para o enriquecimento cultural.

Nesse sentido, vale a pena sair para explorar as riquezas do lugar. Para isso, você pode recorrer a forma mais tradicional com a ajuda de guias, ou simplesmente por o pé na estrada e se aventurar conforme o seu ritmo e estilo.

Quais são os programas de pós-graduação na Austrália?

Assim como no Brasil, os programas de pós-graduação oferecidos pelas universidades australianas também são divididos em dois: lato sensu e o stricto sensu.

Como vimos, o lato sensu abrange os programas de especialização e MBA, sendo a opção ideal para os recém-formados que buscam se aprimorar em um determinado segmento. Os cursos de especialização tem duração de até dois anos e são indicados para aqueles que desejam aprofundar na sua área de atuação. Para receber o certificado o acadêmico tem que apresentar, no final do curso, um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

Já o stricto sensu abrange os cursos de mestrado, doutorado e pós-doutorado que atende os alunos que desejam ingressar na carreira acadêmica ou pesquisa.

Vale ressaltar que para frequentar os cursos de pós-graduação, o aluno deve ter concluído a graduação em uma universidade registrada pelo MEC (Ministério da Educação). Além disso, o aluno tem a possibilidade de escolher um curso que não esteja diretamente relacionado a sua área de atuação, essa vantagem oferece uma variedade ainda maior de opções.

Como validar o diploma para cursar?

Uma das principais preocupações de quem pretende estudar fora do país é a validação do diploma. Sendo assim, para fazer a validação, é necessário entrar com um requerimento em uma das universidades do Brasil e, em seguida, efetuar o pagamento da taxa, que varia conforme a instituição, referente ao custeio das despesas administrativas.

Normalmente, o prazo dado para a universidade se manifestar sobre o pedido de reconhecimento do diploma de Mestrado ou Doutorado por tramitação regular é de até 180 dias. Já por tramitação simplificada é de até 60 dias a partir da data de entrega da documentação necessária.

Lembrando que, atualmente, não existem regras específicas para a validação do diploma de pós-graduação lato sensu. Contudo, o Ministério da Educação (MEC) determina que as pós stricto sensu devem ser reconhecidas pelas universidades brasileiras credenciadas.

Como funciona o processo de aceitação?

O processo de seleção para a pós‑graduação no exterior não é considerada difícil, mas requer muita disposição, pois envolve uma série de etapas. Portanto, é necessário que o candidato dê início ao processo de preparação com, pelo menos, um ano de antecedência lembrando sempre de ficar atento aos prazos.

De modo geral, os documentos solicitados para o processo de seleção para os programas de pós-graduação no exterior são:

  • histórico escolar / CV;
  • provas padronizadas como GMAT e GRE;
  • teste de idiomas;
  • carta de recomendação;
  • personal Statement.

Além desses documentos, podem ser solicitados um plano de pesquisa, cartas de orientadores e, uma entrevista ao longo do processo.

Com base nessas informações fica claro que fazer uma pós-graduação no exterior é uma oportunidade única na vida do acadêmico, por isso vale a pena considerar o investimento. Se você já tomou a decisão, mas não sabe por onde começar, a agência de intercâmbios Australian Centre pode ter ajudar nisso.

Gostou do artigo e quer saber mais? Então, não perca tempo e entre em contato conosco agora mesmo e comece a se planejar para a sua pós graduação no exterior!

Mail