Intercâmbio com a família: como se preparar e quais as vantagens?

Já imaginou poder viajar, estudar e morar na Austrália ou na Nova Zelândia sem precisar se distanciar daquelas pessoas que mais ama? Pois bem, isso é possível por meio de um programa de intercâmbio com a família.

É exatamente isso que você está pensando. Esses dois países da Oceania permitem que os intercambistas embarquem acompanhados de familiares durante o período de estudo e de trabalho.

Quer saber como funciona essa questão de intercâmbio com dependentes e quais são as suas principais vantagens? Então, preste atenção nas dicas deste post e prepare-se para uma das mais incríveis aventuras de sua vida. Podemos começar?

Como conseguir um visto para intercâmbio com a família?

Os governos da Austrália e da Nova Zelândia permitem que estudantes inscritos em programas de intercâmbio tenham o direito a dependentes durante o período de estudos nos países. No entanto, para conseguir um visto desse tipo, é preciso que o aplicante cumpra alguns requisitos necessários para a aprovação da imigração. Abaixo, separamos alguns deles. Confira!

Para levar a pessoa amada

Se a ideia é embarcar com o(a) companheiro(a), você vai precisar de uma comprovação de casamento ou de união estável. Durante o processo de avaliação, a embaixada pode solicitar documentos extras que comprovem a relação do casal, que deve ser, no mínimo, de 12 meses. Esse procedimento não é uma regra, porém pode ser realizado para fins de provar as informações dispostas pelo solicitante.

Casais com menos de 1 ano de união ficam impossibilitados de solicitar a emissão do visto e, obrigatoriamente, precisam aguardar esse período para dar entrada.

Para levar os filhos queridos

Fazer um intercâmbio com a família não é motivo para se distanciar dos filhos por um tempo. Pelo menos não na Austrália e na Nova Zelândia. Ambos os países autorizam a entrada dos dependentes do estudante, desde que siga os requisitos abaixo:

  • comprovar vínculo por meio de certidão de nascimento;
  • crianças entre 6 e 17 anos precisam estar matriculadas em uma escola do país;
  • crianças de 0 a 5 anos não precisam estar matriculadas em uma instituição e, por isso, ficam isentas dessa regra.

Caso o filho já tenha mais de 18 anos, a única forma de embarcar junto no intercâmbio com a família é por meio de um visto individual.

Comprovação financeira

Tanto para cônjuges quanto para os filhos, quando se trata de um intercâmbio com dependentes, o aplicante precisa comprovar sua situação financeira para garantir a subsistência do casal ou da família no país.

Por esse motivo, o dependente deve ter, pelo menos, 35% do valor total do suporte financeiros do intercambista principal. Ou seja, o aplicante precisa ter o equivalente a 1.655,00 dólares australianos para cada mês na Austrália como estudante.

Sendo assim, imagine o caso de um estudante que passe o período de intercâmbio de 7 meses (6 de estudos e 1 de férias). O intercambista precisa, então, comprovar um montante de 11.585,00 dólares australianos, e o seu dependente, 35% desse valor. No caso de levar o filho, é preciso somar mais 250 dólares australianos por mês.

Como se preparar para um intercâmbio com os dependentes?

O primeiro passo para quem quer estudar fora é procurar uma agência de intercâmbio. Afinal, esse serviço requer bastantes detalhes e a documentação (de todo mundo) precisa estar completinha e sem nenhuma pendência. Caso contrário, seu visto pode demorar mais tempo para sair.

Por isso, a dica é se informar com o máximo de antecedência, pesquisar bastante sobre a cidade escolhida, a instituição do curso, providenciar toda a documentação solicitada e entregar tudo dentro dos prazos estipulados.

Aproveite com calma, também, para checar os preços de passagens aéreas, assim como os roteiros mais comuns das companhias de aviação. Saiba que a aventura começa no momento do embarque. Afinal, é possível curtir bastante as escalas até chegar à Oceania.

Quais são as vantagens de um intercâmbio com a família?

Viajar com aqueles que você mais ama é sempre inesquecível, não é mesmo? Agora, imagine quando a trip, além de se divertir, tem como intuito estudar e ganhar experiência internacional.

Sem dúvida, investir em um programa de intercâmbio com dependentes é uma oportunidade única e que promove uma experiência a ser levada para o resto da vida. Confira, a seguir, algumas das vantagens para quem opta por uma viagem desse tipo.

Possibilidade de trabalhos para o dependente

No caso de um intercâmbio para casal na Austrália, a permissão de trabalho para o dependente é a mesma que para o aplicante do visto principal. Ou seja, o acompanhante também pode trabalhar as 20 horas semanais permitidas para visto de estudo e trabalho no país.

Vale ressaltar que, quando o intercambista principal pretende realizar cursos de mestrado, doutorado ou algum outro curso nesse sentido, o período de trabalho é diferente. Nesses casos, o dependente pode trabalhar mais tempo sem precisar ter um limite de horas definido.

Oportunidade de estudo para o dependente

Quando se trata dos filhos, as crianças têm a oportunidade de se matricularem em escolas excepcionais, em países desenvolvidos e com qualidade de ensino muito superior às instituições brasileiras. Isso vai permitir uma série de vantagens, como desenvolver mais cedo um segundo idioma, ter acesso a novas culturas e fazer amizade com crianças estrangeiras.

Para o intercâmbio em casal, o visto de dependente também permite cursar em uma escola. No entanto, nesses casos, o período máximo de estudos é de 12 meses.

Qualidade de vida

Além de ser uma experiência extraordinária, um intercâmbio com a família é uma oportunidade de promover uma melhoria na qualidade de todos. Afinal, tanto a Austrália como a Nova Zelândia ostentam números invejáveis nos quesitos segurança, educação, saúde, entre outros serviços públicos.

O custo de vida também é mais acessível do que você imagina. Um dos fatores mais vantajosos para os brasileiros é o fato de a moeda desses países ser muito mais amigável ao real. Para se ter uma ideia, o dólar australiano é cotado na faixa de R$ 2,70.

Enfim, essas foram nossas dicas sobre programas de intercâmbio com a família. Com toda certeza, se você busca embarcar nessa aventura com as pessoas mais especiais do mundo, nem pense duas vezes. Tanto a Austrália quanto a Nova Zelândia são dois destinos incríveis e que oferecem inúmeras vantagens aos aventureiros brasileiros.

Curtiu o post? Está a fim de arrumar as malas e estudar na Oceania ao lado da família? Então, entre em contato conosco e conheça todos os nossos programas de intercâmbio. Temos os planos ideais para você!

Mail