Intercâmbio para Austrália ou Canadá? Saiba como escolher

Intercâmbio para Austrália ou Canadá

Quem pretende estudar fora precisa levar em consideração uma série de fatores importantes antes de se decidir pelo destino mais indicado. O clima local, o custo de vida no país, a cultura e os costumes do povo, as facilidades de acesso e o valor da moeda local são alguns exemplos disso. Por esse motivo, um intercâmbio para Austrália ou Canadá se torna, cada vez mais, uma excelente alternativa para os estudantes brasileiros que buscam se capacitar em um país de primeiro mundo.

Mas, para que você não tome qualquer decisão às escuras, resolvemos preparar este post bem completo, mostrando um pouco de cada país, suas principais características e seus requisitos, além de explicar por que eles podem ser a melhor opção para a sua viagem de intercâmbio.

Quer saber tudo sobre o assunto? Então, fique com a gente, leia todo o post e confira as dicas que trouxemos para você.

Por que o intercâmbio é uma experiência incrível?

Um intercâmbio para Austrália ou Canadá vai muito além de uma simples viagem de estudo e trabalho. Afinal de contas, toda a experiência proporcionada pela vivência de se morar fora e ter um contato direto com outras culturas promove um desenvolvimento pessoal e profissional incomparáveis, bem como aprendizados que guardamos conosco pela vida inteira.

Toda a bagagem de conhecimento que se traz de volta ao país de origem é enorme e, com toda a certeza, isso tem profundas influências na vida do intercambista – seja sob o aspecto acadêmico, seja do ponto de vista do mercado de trabalho.

Para exemplificar melhor e mostrar, de fato, o quanto um intercâmbio pode impactar na sua vida, separamos uma pequena lista de vantagens que uma viagem desse tipo proporciona. Confira abaixo!

Contato com novas culturas

Já imaginou passar o período do intercâmbio morando na casa de uma família local ou em um dormitório universitário com outros jovens do mundo inteiro? Pare para pensar o quanto isso seria interessante como experiência de vida! Você terá contato com costumes e tradições, poderá conhecer um pouco mais sobre as curiosidades de cada país e de seus povos, além de cultivar um novo ciclo internacional de amizades.

Dentro da sala de aula não é diferente. Afinal, você vai dividir o espaço com outros estudantes, poder fazer amigos e, quem sabe, até iniciar um namoro por lá. Incrível, não é mesmo?

Aprimoramento do idioma

Um intercâmbio para ambos os países também permite que o estudante aprimore o domínio de seu inglês. Além das opções de cursos e instituições focadas na aprendizagem do idioma, a viagem proporciona 24 horas de contato com a língua local. Ou seja, para onde quer que você olhe, sempre vai ter gente conversando nas ruas, propagandas e publicidades, cartazes, letreiros – simplesmente tudo em inglês!

Há muitos motivos para estudar inglês, e é melhor ainda quando você tem a garantia de que desenvolverá uma fluência perfeita: não há forma mais eficiente para isso do que praticar e respirar o idioma em um ambiente onde ele é a língua nativa dos moradores.

Independência

Outra grande vantagem de um intercâmbio é que, obrigatoriamente, você precisa se desenvolver pessoalmente. E isso envolve a sua independência. Afinal, você estará em um país distante, ao lado de pessoas novas e com costumes diferentes, e vai ter que se virar, de uma forma ou de outra.

Jamais considere isso um problema. Pode até ser um desafio e, por esse motivo, deve ser encarado com uma meta de superação. Com toda certeza, uma experiência desse porte ajudará você a ultrapassar barreiras e a se defrontar com situações novas durante a sua vida toda. Acredite!

Desenvolvimento profissional

Mesmo com o reconhecimento das melhores instituições de ensino do Brasil, o peso no currículo de uma experiência internacional é significativo. Comprovadamente, as empresas valorizam cada vez mais jovens que tenham estudado no exterior.

E não se trata apenas de ter um diploma de uma escola australiana ou canadense. Todo o peso cultural dessa experiência também conta a favor do estudante, pois ele traz na bagagem conhecimentos e práticas que, de fato, são diferenciais para um trabalho no Brasil.

Experiência de vida

Por fim, como já resumimos no início do tópico, um intercâmbio deve ser considerado como algo que vai muito além de uma simples viagem de estudos: é uma experiência de vida extraordinária. Além de todas as vantagens acima, você poderá visitar lugares e culturas diferentes, provar novos sabores, sair e viajar com pessoas de outras nacionalidades, praticar atividades que não conhecia, entre outras possibilidade incontáveis. Já parou para imaginar que grande aventura seria?

O que considerar ao escolher o destino?

Apesar de tudo parecer perfeito, a escolha do destino para o seu intercâmbio precisa ser feita com cuidado e atenção. Por exemplo, se você se considera uma pessoa totalmente urbana, ir para uma cidade pequena do interior com o tempo pode se tornar um problema para você.

Além disso, outros fatores culturais e até climáticos podem interferir no processo de suas adaptações ao país. Pensando nesses detalhes, a gente separou algumas dicas do que é importante levar em consideração ao escolher o destino perfeito de seu intercâmbio na Austrália ou Canadá.

Clima

O primeiro ponto a ser observado é o tipo de clima que predomina no destino. Curtir um frio ou ver a neve pode parecer legal para uma viagem de lazer. Viver meses e anos nessa situação talvez não seja o mais agradável. Por isso, é sempre mais recomendado optar por lugares que se assemelham ao clima do Brasil (melhor ainda se tiver praia, claro).

Nesse quesito, já fazendo uma comparação entre a Austrália e o Canadá, a terra dos cangurus sai na frente disparado e, sem dúvidas, é muito mais fácil para nós, brasileiros, nos adaptarmos. Para se ter uma ideia, cidades australianas como Brisbane ou Gold Coast beiram a faixa dos 30 graus e com dias quase sempre ensolarados.

Perfil do estudante

Outro fator importante é conhecer o seu perfil. O que você gosta de fazer? Ir para baladas, praias, praticar esportes, ou prefere uma pegada mais cultural, com museus, cafés, espetáculos? Enfim, um intercâmbio para a Austrália ou Canadá vai permitir você escolher uma série de destinos, cada um com suas características.

Por esse motivo, o recomendado é estudar, a fundo, como são as cidades disponíveis e o que rola por lá. Leia artigos, se baseie em experiências de outros estudantes, se informe na sua agência de intercâmbio e só se decida depois de ter a certeza de que a cidade escolhida é, de fato, a que tem mais a ver com o seu perfil. Ah, e não custa nada conferir as regiões vizinhas também, para aquela viagem de férias ou um passeio de final de semana com os amigos, não é mesmo?

Instituições de ensino

Não há dúvidas de que um intercâmbio para qualquer um dos destinos, você terá o suporte de boas instituições de ensino e de qualidades incomparáveis. No entanto, a questão vai um pouco mais além. É importantíssimo conhecer um pouco sobre os cursos e métodos de ensino, além da estrutura do campus e as atividades oferecidas lá.

Afinal, é dentro dessas escolas que você vai passar boa parte de seus dias e, por esse motivo, elas devem agradar e atender às suas expectativas. Logo, pesquise sobre os ambientes, a localização e atividades que a instituição oferece aos seus alunos.

Vistos disponíveis

Mais à frente, veremos, com detalhes, quais são as principais diferenças de um intercâmbio para Austrália ou Canadá, o que vai envolver também a questão dos vistos. No entanto, podemos adiantar que o país da Oceania conta com programas de governo que incentivam a ida do estudante estrangeiro para acessar seu sistema de educação, além de possibilitar uma inserção no mercado de trabalho com mais facilidade.

No caso, a questão principal é entender quais são todas as possibilidades de vistos disponíveis para os brasileiros e que benefícios cada opção desses documentos oferece ao intercambista. Certamente, quanto mais opções e facilidades, mais amigável se torna esse país. Informe-se em uma agência de intercâmbio e confira todas as alternativas!

Custo de vida

Certamente, o preço do programa de intercâmbio é um dos fatores que mais pesam na escolha do destino. Tanto a Austrália quanto o Canadá apresentam uma moeda mais amigável, em relação ao Real Brasileiro, sendo que o primeiro país ainda leva uma pequena vantagem, em comparação ao segundo. O dólar australiano, em média, é 10 centavos mais em conta que o canadense e, pode ter certeza, isso faz toda a diferença em larga escala.

Mas, além do valor cambial, outra questão importante a ser avaliada em um intercâmbio para Austrália ou Canadá é o custo de vida das cidades. Em geral, a Austrália também sai na frente nesse quesito, porém os valores variam de região para região. Por fim, vale ressaltar que o salário mínimo no país dos cangurus sempre foi uma referência internacional. Sendo assim, vale pesquisar a fundo, as regiões de maior interesse e colocar tudo na ponta do lápis.

Planos para o futuro

Com toda a certeza, um intercâmbio já vai proporcionar oportunidades únicas e facilitar diversos processos em sua vida profissional. No entanto, não custa nada pensar um pouco mais à frente e tentar se enxergar daqui a alguns anos. Você pretende voltar ao Brasil e desenvolver algo por aqui ou teria vontade de permanecer em terras estrangeiras, mesmo após o fim de seus estudos?

Essa questão é importante de ser avaliada também, pois ela pode ser decisiva para sua escolha. Afinal, nem todos os países dispõem facilidades para obtenção de um visto permanente ou programas que permitam estender a estadia. Mais à frente, veremos como a Austrália é um dos destinos que oferecem essa possibilidade aos estrangeiros. Por isso, continue a leitura para se informar melhor.

Como é o intercâmbio na Austrália?

Nos últimos anos, a Austrália se tornou a menina dos olhos de estudantes estrangeiros, o que inclui os brasileiros. Com uma demanda grande, tanto de vagas em instituições de ensino, como de oportunidades de trabalho, o governo do país lançou programas extremamente vantajosos para captar jovens capacitados que desejam desenvolver a vida no país.

Sem dúvidas, a Austrália proporciona muito mais facilidades e qualidade de vida, somadas ao clima perfeito, a um povo sempre alegre e, claro, às paisagens e cenários de cair o queixo, que definem o estilo de viver australiano. Para entender melhor como funciona um intercâmbio nesse país, separamos algumas curiosidades e informações importantes.

Nem a distância é um problema

Bom, antes mesmo de começar o seu intercâmbio na Austrália, a aventura se inicia ao sair do Brasil. Devido ao trajeto longo, não há voos diretos até a Oceania. E quem disse que isso é um problema? Muito pelo contrário, pois isso permite algumas opções de rotas que podem tornar sua ida ainda mais completa e interessante.

Afinal, as escalas são obrigatórias e você pode escolher paradas como Chile, Argentina, África do Sul e Emirados Árabes, por exemplo, e fazer aquele passeio antes de chegar ao destino final. Que escolha difícil de se fazer, hein?

O governo australiano quer que você vá

Outra grande vantagem de optar por um intercâmbio na Austrália é a facilidade que o governo do país proporciona ao estudante estrangeiro. São diversas as possibilidades de vistos, o que inclui também benefícios aos companheiros e familiares, além de um empurrãozinho para conquistar aquela tão sonhada vaga de emprego em uma empresa no exterior. Confira os principais tipos de vistos australianos e saiba um pouco mais sobre cada um deles.

Visto de estudante

O visto de estudante na Austrália é destinado aos que pretendem estudar acima de 14 semanas em alguma instituição de ensino do país. Ele tem uma validade, de acordo com o tempo de estudo, podendo ganhar mais um mês de férias para curtir ou se dedicar a alguma atividade local.

Além disso, o visto dá uma permissão de trabalho legal, de até 40 horas quinzenais em uma empresa australiana, desde que as aulas já tenham começado. Cônjuges, companheiros e filhos menores de idade poderão ser inclusos no processo de visto, desde que forneçam evidências do relacionamento, que satisfaçam as exigências do Department of Home Affairs (DOHA). O processo de requerimento obriga o estudante a passar por exames médicos e consultar um profissional indicado pelo próprio consulado.

Visto de turista

Para uma viagem curta a Austrália, a imigração concede a autorização de permanência de até 90 dias no país. O viajante pode também aproveitar esse período para estudar em alguma instituição local.

O curso precisa, obrigatoriamente, ser de até 12 semanas, e vale ressaltar que, nesse caso, o turista não tem a permissão de trabalho. O visto poderá ser concedido por um período de 12 meses, com direito a múltiplas entradas no país e com a permanência de até 90 dias a cada acesso.

Programas que dão um empurrãozinho extra

Você já começou a cursar uma faculdade no Brasil e agora acha que é tarde demais para fazer um intercâmbio na Austrália? Nada disso! A chamada graduação sanduíche é um dos formatos que possibilita concluir o seu curso no país, mesmo já tendo dado início aqui. Embarcando nessa oportunidade, o intercambista passa a ter todos os benefícios concedidos pelo visto de estudante.

Além disso, outros programas do governo, como o SkillSelect, por exemplo, é mais uma prova de que a Austrália incentiva e valoriza o estrangeiro em seu território. Nesse sistema, o estudante pode se candidatar e se tornar elegível para conseguir um visto de permanência no país, com direito a um trabalho sem limitações, mesmo depois de ter concluído os estudos. É sua chance de se mudar, definitivamente, para outro país!

Como é o intercâmbio no Canadá?

Já pelo lado do Canadá, um intercâmbio também pode proporcionar uma excelente experiência de vida ao estudante. No entanto, os processos são um pouco mais complexos e limitados, a começar pela necessidade de requerer vistos até mesmo para viagens a lazer.

Recentemente, uma atualização do governo canadense favorece alguns brasileiros, mas a medida ainda é restrita. Em 2017, os brasileiros se tornaram elegíveis no programa chamado eTA (Autorização Eletrônica de Viagem), que pode isentar a necessidade de visto de viagem e substituí-la por essa autorização. Porém, para se ter acesso a esse programa, a pessoa precisa já ter tido um visto para o Canadá nos últimos 10 anos.

Outro fator que também pode ser encarado como um dificultador para os cidadãos brasileiros é que, se sua passagem de ida ou de volta ao Brasil tiver uma escala nos Estados Unidos, você precisa se preocupar com mais um visto e, consequentemente, mais custos.

Fora isso, o país também oferece excelentes instituições de ensino renomadas e uma qualidade de vida incomparável à da América do Sul. Para saber um pouco mais sobre os tipos de vistos e benefícios que eles proporcionam, deixamos alguns detalhes abaixo para você comparar as diferenças de um intercâmbio na Austrália ou Canadá. Confira!

Visto de turista

Conforme falamos, assim como a Austrália, o Canadá também requer do brasileiro a obrigatoriedade de um visto de viagem, antes de embarcar. Conseguindo passar esse processo, o turista pode se inscrever em algum curso com duração máxima de 6 meses e, da mesma forma, isso não lhe concede a permissão de trabalho no país.

Visto de estudante

O visto de estudante canadense é indicado para quem pretende estudar por mais de 6 meses no país. Em certos casos, o processo de requerimento também obriga o estudante a passar por exames médicos e consultar um profissional indicado pelo próprio consulado do Canadá. O visto concede permissão de trabalho para determinados cursos escolhidos, por isso, vale consultar e se informar antes de se decidir.

Como iniciar o processo para embarcar em um intercâmbio?

O primeiro passo para realizar o seu sonho de intercâmbio na Austrália ou Canadá é buscar uma assessoria especializada. Ou seja, uma agência capacitada em dar todo o suporte necessário, tanto para embarcar, como durante o seu período de estudos.

O processo de requerimento dos vistos pode demandar um pouco de tempo, por isso, uma dica é sempre agir de forma antecipada, com calma, e separar toda a documentação completa. Lembre-se de que, além dos trâmites normais, a imigração dos países pode solicitar comprovações extras, o que pode gerar prazos ainda maiores.

Além de cuidar de todo o processo para aquisição dos vistos e orientações gerais sobre os programas, contar com uma agência de intercâmbio especializada em ambos destinos, pode facilitar em diversos outros fatores. Claro que isso pode variar de empresa para empresa. No entanto, você tem a garantia de que fez a opção correta ao verificar se essa assessoria oferece outros tipos de serviços complementares.

Afinal, um programa de intercâmbio envolve toda uma logística de passagens, acomodações, escolha dos cursos e instituições, além de processos burocráticos em certos casos, como a necessidade de tradução de documentos, por exemplo. Por fim, a assessoria de uma agência não deve terminar após o embarque do estudante. Por isso é tão importante buscar a parceria certa e mais completa para você partir com toda a segurança e com a certeza de poder contar com uma equipe sempre presente.

Enfim, um intercâmbio tanto para Austrália quanto para o Canadá, sem dúvidas, proporciona uma experiência de vida incalculável. Certamente, cada país apresenta suas próprias características e políticas quanto ao acesso de estudantes estrangeiros e, inclusive, fica nítido que o governo australiano, por uma série de interesses locais, tem se mostrado mais flexível e aberto a esses programas.

Foi pensando justamente nisso que, antes de terminar este nosso guia , e tendo em vista as facilidades dispostas pelo país da Oceania, trouxemos a você um e-book completo sobre tudo o que é preciso para estudar, morar e trabalhar legalmente em terras australianas. É grátis e já ajudou muita gente a embarcar nessa aventura!

Mail