Guia completo sobre o que você precisa para morar na Nova Zelândia

Você pensa em mudar de vida e recomeçar em um novo país com a sua família? A Nova Zelândia é um lugar extremamente rico em belezas naturais, sua cultura Maori é milenar e é uma alternativa que está ganhando grande destaque a cada dia. Afinal, está em um continente que apresenta estabilidade e diversas vantagens, como boa empregabilidade, inclusive para intercambistas, e um dos maiores salários mínimos do mundo. 

Além desses fatores econômicos, outro atrativo é o clima na Nova Zelândia, que é tropical — comum ao clima brasileiro, porém, agradável para os turistas e moradores locais. Ainda é um país que atende os mais diversos focos de estudo, como inglês para negócios, pós-graduação etc.

Sendo assim, neste guia mostraremos para você quais são as possibilidades para morar na Nova Zelândia de forma legal e direcionada para o seu perfil. Que tal? Continue lendo até o fim do post! 

Como é morar na Nova Zelândia?

Há tempos a Nova Zelândia vem sendo considerada como um dos melhores países do mundo, tanto para visita como para moradia. É o lugar que tem um dos maiores índices de qualidade de vida, uma vez que seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é um dos mais altos, e, junto da Dinamarca e Finlândia, está no topo do ranking anual do IPC (Índice de Percepção de Corrupção) como um dos países mais íntegros e livres de corrupção. 

O país está localizado na Oceania e tem cerca de 5 milhões de habitantes entre as suas duas ilhas principais (do Norte e do Sul), que são marcadas por belezas naturais, vulcões e glaciações. A grande parcela da população se concentra na ilha do lado Norte, onde está localizada a capital, Wellington, e uma das cidades mais procuradas pelos intercambistas — Auckland

Na ilha do lado Sul também está localizada a cidade de Queenstown, que é conhecida como a capital mundial dos esportes radicais e que serviu de cenário para os filmes das trilogias “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”.

Custo de vida

Há alguns anos a Nova Zelândia — mesmo sendo um dos melhores países do mundo para se viver — era considerada um país distante e de cultura exótica para a maioria dos intercambistas e imigrantes, pois acabava perdendo o seu destaque em comparação com os Estados Unidos e com alguns destinos da Europa. 

Porém, com a alta do dólar americano e do euro, este belo país começou a obter um destaque maior na rota de interesse internacional. Atualmente, é um dos lugares mais baratos e recomendados do mundo para estudar inglês. Hoje em dia, de acordo com a Numbeo — banco de dados que compara os custos de vida entre cidades , o país tem um dos quinze melhores custos de vida do mundo.  

Ainda sobre o custo de vida na Nova Zelândia, a média varia muito de uma cidade para outra. Auckland, por exemplo, é a maior e mais populosa do país, e, assim, torna-se uma das mais caras para viver. Em um ranking mundial, a cidade ocupa a 40ª posição da lista, em um total de 452.

Ainda de acordo com a Numbeo, os gastos de uma pessoa na cidade, sem o valor do aluguel, giram em torno de NZ$ 1.400,00. A média salarial, no entanto, é de aproximadamente NZ$ 3.850,00.

Em Auckland existem diversos tipos de acomodação e o aluguel é uma das despesas mais caras. Isso porque apartamentos de um quarto custam em torno de NZ$ 1.200,00 a NZ$ 2.200,00 por mês, dependendo da localização.

A capital do país, Wellington, é o 68° lugar no ranking mundial do custo de vida mais elevado. Em média, mensalmente, sem a despesa do aluguel, uma pessoa gasta em torno de NZ$ 1.250,00. A média salarial está em torno de NZ$ 4.200,00. Os aluguéis, por sua vez, estão na faixa de NZ$ 1.100,00 a NZ$ 3.800,00.

Entre as grandes cidades para morar na Nova Zelândia, Christchurch mostra um custo de vida mais amigável que Auckland e Wellington, mas ainda está entre as 100 cidades mais caras do mundo para viver. O custo mensal estimado para uma pessoa na cidade é em torno de NZ$ 1.220,00. Já a média salarial gira em torno de NZ$ 3.700,00. 

O aluguel na região também pode variar muito, como nas outras cidades: o valor mínimo pode ser de NZ$ 800,00, mas, também, pode custar aproximadamente cerca de NZ$ 3.000,00.

Na cidade de Queenstown, que é mais conhecida como a capital dos esportes radicais, o custo de vida se eleva por ser um destino turístico. Anualmente, a cidade que tem cerca de 18 mil habitantes recebe mais de 1 milhão de turistas.

Comparada à São Paulo, ela tem um custo de vida 50% mais caro. O aluguel dos imóveis atualmente oscila entre NZ$ 1.200,00 e NZ$ 4.300,00, e a média salarial da cidade beira os NZ$ 2.500,00.

Transporte

Dentro das grandes cidades para trabalhar na Nova Zelândia, o meio de locomoção mais comum é o ônibus. Em Auckland, a região central pode ser percorrida a pé, porém, as suas belezas naturais estão localizadas em pontos mais afastados da cidade.

O cartão de transporte pré-pago de Auckland chama-se ATHop card. Ele pode ser utilizado nos diversos meios de transporte presentes na cidade, como ônibus, trens e alguns trajetos de balsas.

Em Christchurch, como a cidade é plana, além do transporte público, um meio comum de locomoção é a bicicleta e a caminhada. O lugar está repleto de ciclovias, incentivando o aumento de ciclistas na região. Agora, para quem prefere usar o transporte público, tem como opções:

  • ônibus;
  • balsas;
  • ônibus especiais e shuttles do aeroporto para a cidade;
  • bondes restaurados para destinos turísticos. 

Na capital da Nova Zelândia existem várias opções de transporte público. Para efetuar o pagamento da sua passagem é possível usar dinheiro ou cartões de transporte pré-pagos. 

Os ônibus de Wellington conectam toda a cidade, desde bairros residenciais até o centro comercial, assim como os trens e as balsas conectam outras regiões. O bonde da cidade leva os passageiros até o Jardim Botânico de Wellington — uma das atrações mais populares das redondezas.

De uma ilha para outra, o transporte pode ser realizado via ferry, vislumbrando as belezas naturais do território. Entretanto, para locomoção de uma cidade para outra, as estradas são o meio mais indicado — lembre-se apenas de que dirigindo na Nova Zelândia se usa a mão inglesa!

Educação

O sistema educacional da Nova Zelândia está entre os melhores do mundo e a NZQA (New Zealand Qualifications Authority) é o órgão responsável pelo controle das escolas públicas e privadas de todo o país — colaborando para que se mantenha um alto padrão de ensino, reconhecido a nível global. 

Para os intercambistas, o país oferece uma rede de assistência que garante segurança para os novos estudantes. O programa é chamado de New Zealand Code of Practice for the Pastoral Care of International Students

Desde o dia 01 de outubro de 2019 os brasileiros que pretendem visitar a Nova Zelândia precisam emitir um eTA (Electronic Travel Authority) — uma autorização válida para quem permanecerá por até 90 dias no país. 

A emissão do eTA custa cerca de NZ$ 9,00 se for solicitado pelo celular ou NZ$ 12,50 se for feito diretamente no site do governo neozelandês. Além da autorização, os turistas devem pagar uma taxa de proteção ambiental da região no valor de NZ$ 35,00. 

Saúde

A Nova Zelândia dispõe de um sistema público de saúde exemplar, com hospitais e clínicas bem preparados e com uma rede de profissionais bastante qualificadoa para conseguir atender e dar o devido suporte para a população.

Diferentemente do Brasil, o clínico geral é o profissional que sempre vai acompanhar o seu caso. Caso seja necessário um encaminhamento para uma modalidade específica, o pedido deve ser feito por ele. Nesse cenário, o tempo de espera para o atendimento vai de acordo com a gravidade do seu caso.

Com a realização de exames médicos a situação é semelhante: o clínico geral deve realizar um pedido e encaminhar para o laboratório. Além disso, os exames só são solicitados em casos que mostram uma necessidade iminente.

Os remédios são subsidiados pelo governo da Nova Zelândia, então, custam de NZ$ 0,00 até NZ$ 5,00 e o médico deverá prescrever a sua receita para a compra ou retirada na farmácia.

Carteira de motorista

Você possui uma CNH brasileira e pretende dirigir legalmente assim que começar a morar na Nova Zelândia? Atualmente, existem duas maneiras para regulamentar a sua carteira de motorista, pelo período de um ano. Após esse prazo, é necessário emitir a carteira de motorista local.

A forma mais popular é emitindo uma PID (Permissão Internacional para Dirigir) enquanto ainda estiver em território brasileiro, sendo necessário verificar com o DETRAN da sua cidade o valor e o procedimento necessário para a emissão do documento. 

A segunda maneira é fazer uma tradução da sua CNH com um profissional registrado no NZTA (NZ Transport Agency) e com o passaporte válido em mãos — sendo obrigatório manter a tradução sempre junto ao documento. Nesse caso, deve-se verificar com o NZTA se o tradutor escolhido está qualificado e aprovado para efetuar a tradução da licença. 

Para converter a sua carteira de motorista brasileira em uma driver license da Nova Zelândia é necessário comparecer em um AA (New Zealand Automobile Association) com o documento e a tradução, preencher o formulário solicitado e pagar uma taxa de aplicação, a fim de realizar os testes teórico e prático.

O que eu preciso para morar na Nova Zelândia?

De alguns anos para cá, os brasileiros estão conhecendo melhor a Nova Zelândia e a escolhendo para uma mudança de vida. Um dos principais fatores é que o país é considerado como um dos melhores do mundo para se viver, com uma gama diversa de oportunidades que estão de acordo com o seu objetivo e área de atuação. 

Seja para estudar, trabalhar, empreender ou investir, a Nova Zelândia tem as oportunidades e os vistos ideais para a sua entrada no país de forma legalizada. 

Visto de estudante

Para quem deseja fazer um intercâmbio de estudo, ou de trabalho e estudo, e quer morar na Nova Zelândia por um período superior a três meses, é preciso pedir o visto antes da sua chegada ao país. A aplicação é realizada diretamente no site da imigração neozelandesa e é solicitada uma série de documentos que comprovem o seu tempo de estudo. 

Esse visto não permite ao intercambista que permanece por menos de 14 semanas trabalhar no país. Só é permitida a atividade trabalhista para estudantes matriculados em uma escola de categoria 1 — em um curso com duração mínima de 14 semanas, e só são liberadas 20 horas de trabalho semanais.

Quem estiver matriculado em uma escola de categoria 2 também pode realizar atividades trabalhistas de 20 horas semanais, porém, o curso deve ter duração mínima de 24 semanas e o estudante deve ter nota 5,5 no IELTS (International English Language Testing System). 

Visto de trabalho

Pela Nova Zelândia ser um país com relativamente poucos habitantes locais, o visto de trabalho — Work Visa — pode ser solicitado dentro ou fora do seu território. Existem vários tipos e durações nessa categoria, incluindo o visto de trabalho pós-estudo, que é focado em pessoas que completaram os seus estudos recentemente. 

Para quem já conta com uma oferta de trabalho, estão disponíveis cerca de oito tipos de vistos diferentes, que devem ser conferidos diretamente com a imigração neozelandesa. E, para quem ainda não tem um trabalho, atualmente, existem nove alternativas de vistos. 

A imigração da Nova Zelândia disponibiliza uma lista de ocupações em demanda, que é atualizada regularmente. Nessa lista estão as ocupações onde a mão de obra qualificada está em falta. Se você apresentar experiência e as qualificações necessárias, o visto de trabalho pode ser mais fácil de adquirir. 

Para brasileiros também é disponibilizado o Working Holiday Visa, um visto de trabalho que tem a duração de 12 meses — e a Nova Zelândia só disponibiliza uma cota de 300 por ano. Esse visto permite que você trabalhe e viaje conhecendo mais do país. Uma das únicas restrições é que o beneficiário desse visto não pode trabalhar no mesmo local por um período superior a três meses. 

Visto de investidor ou empreendedor

A Nova Zelândia é um dos países mais receptivos do mundo para as novas oportunidades de negócios, portanto, se você deseja fixar residência em um novo continente e vê uma lacuna no mercado neozelandês, existe um visto próprio para quem pretende investir ou abrir o seu negócio no país.

Para empreendedores experientes que queiram morar na Nova Zelândia, o Entrepreneur Work Visa permite que você monte seu novo negócio e, caso atenda todos os aspectos requeridos, aplique um visto para residência após um período de seis meses.

Alguns dos requisitos para aplicar para esse visto são:

  • possuir um plano de negócios com investimento mínimo de NZ$ 100.000,00 — excluindo o capital de giro;
  • atender a requisitos criminais;
  • apresentar exames de proficiência em inglês;
  • iniciar a implementação do negócio em menos de 12 meses. 

Porém, se o seu foco é investir na economia da Nova Zelândia, um requisito necessário é apresentar e comprovar um plano de investimentos de no mínimo NZ$ 3 milhões de dólares ao longo de um período de quatro anos.

Você precisa apresentar requisitos mais simples, como questões de saúde, antecedentes criminais e nivelamento de inglês, mas também é necessário que o solicitante tenha até 65 anos de idade e permaneça na Nova Zelândia por, no mínimo, 438 dias — limite requerido dentro do período total do seu plano de investimentos, que costuma ser de quatro anos. 

Como posso levar a minha família para a Nova Zelândia?

Mudar para um novo país exige planejamento e organização e, se o seu desejo é morar na Nova Zelândia, mas quer que a sua família vá junto, existem algumas possibilidades de tornar isso uma realidade.

O intercâmbio em casal é uma possibilidade que pode beneficiar você e seu companheiro(a), trazendo uma experiência igualmente rica para os dois em um novo continente.

A imigração considera os filhos como dependentes e cônjuge como partner. Portanto, caso a sua ida seja para estudar e trabalhar na Nova Zelândia, é possível incluir dependentes no visto de estudante — mas somente se a sua permanência for de no mínimo um ano no país.

Se você tiver filhos, eles podem frequentar uma escola pública no decorrer do seu intercâmbio. Se o partner solicitar o visto correto, também tem permissão para estudar por um período de 12 semanas, mas não poderá exercer atividades trabalhistas.

Para crianças e adolescentes, morar na Nova Zelândia conta com inúmeras oportunidades, pois lá há uma rede de ensino excelente, segurança, natureza, possibilidade de praticar esportes que não são tão comuns no Brasil e a experiência de viver em novo continente. Outro diferencial é conhecer mais do inglês neozelandês, que é um idioma com algumas diferenças do inglês americano.

Também é possível participar do programa de pontuação para imigração na Nova Zelândia, que qualifica certos candidatos para residência no país. O processo, chamado de Expression of Interest (EOI), conta com informações profissionais, suas qualificações e experiências — tudo é contabilizado em pontos, que devem somar até 160.

Como me preparar para morar na Nova Zelândia?

Mudanças no geral sempre são um processo complicado e burocrático, portanto, quando é para um novo país (e um novo continente), é exigido um cuidado e atenção redobrados. De acordo com o objetivo da sua viagem, seja uma ida temporária ou uma mudança permanente, algumas etapas devem ser vividas — com auxílio profissional para tudo correr de forma correta. 

Em primeiro lugar, é de extrema importância fazer um planejamento financeiro para você e para a sua família, em que vocês estejam livres de qualquer imprevisto que possa ocorrer. É necessário incluir todos os gastos desde a saída do seu país de origem até cerca de três meses depois da sua chegada à Nova Zelândia. Além desses detalhes, não se esqueça de:

  • confirmar se o seu passaporte está dentro da validade;
  • verificar se alguma vacina é exigida para entrada no país
  • confirmar toda a documentação solicitada pela imigração da Nova Zelândia;
  • preparar a sua mudança, seja ela temporária ou definitiva.

Após visualizar o que é necessário, é recomendado entrar em contato com uma agência de intercâmbio especializada na Nova Zelândia para auxiliar nos trâmites mais complicados da mudança, como a documentação necessária para viagem e entrada no país, escolha de moradia e, se necessário, mostrar qual a melhor época para fazer o intercâmbio

Sobre a documentação, é indicado organizar tudo o que for solicitado de forma física e digital, para não correr nenhum risco na imigração. A moradia também deve ser analisada de maneira criteriosa antes da sua mudança. Se ela for definitiva:

  • verifique todos os seus bens materiais;
  • venda o que for necessário e o que você não precisa mais;
  • cancele os contratos de TV a cabo, internet e outros gastos que são de obrigatoriedade mensal;
  • faça uma checklist com tudo que deve ser feito antes da sua viagem.

Se for possível — e se estiver dentro do seu orçamento —, faça também uma visita inicial para a cidade que você deseja se mudar, a fim de ver de perto se é o local correto e se a sua escolha vai se manter neste local. Se possível, aproveite para visitar outras cidades próximas, para averiguar novas opções. Afinal, você pode se identificar mais com uma outra região do que a escolhida inicialmente.

A Australian Centre é uma agência especializada e capacitada nos países da Oceania e que pode auxiliar você e a sua família a concretizarem o sonho de viver uma nova cultura e morar em outro país. Neste post nós mostramos as formas de como isso é possível e quais são os processos necessários para você morar na Nova Zelândia, seja uma mudança temporária ou permanente.

Se este guia conseguiu esclarecer algumas das suas dúvidas sobre morar na Nova Zelândia e você deseja mais alguma informação, entre em contato conosco — estamos prontos para esclarecer mais detalhes!

Mail