O salário mínimo na Nova Zelândia: como os brasileiros vivem lá?

Já imaginou morar fora, ter muito mais qualidade de vida e segurança, conseguir trabalhar legalmente e, claro, ganhar todo mês em dólar? Pois bem, tudo isso é possível na Oceania!

Entre todas as vantagens e chamarizes dessa região, o salário-mínimo na Nova Zelândia é um dos que mais chamam a atenção dos jovens do mundo inteiro, incluindo muitos brasileiros em busca de um emprego internacional.

Afinal, o país conta com uma remuneração média muito superior ao que a maioria dos brasileiros está acostumada a receber — sem contar os demais benefícios que uma vida legal por lá pode proporcionar, como educação de qualidade, segurança pública, lazer, entre outros.

Mas calma! Antes de achar que é tudo simples assim, é preciso também comparar o custo de vida do país — e é justamente sobre esse tema que vamos falar ao longo do artigo. Então, tome nota das dicas que trouxemos a seguir. Vamos começar?

Como é o custo de vida e o poder aquisitivo na Nova Zelândia?

Antes de falarmos sobre o salário-mínimo na Nova Zelândia, é fundamental entendermos que, apesar de os valores pagos pelas empresas no país serem superiores aos do Brasil, o custo de vida é muito mais alto por lá também. Portanto, não basta apenas converter os valores médios dos salários de ambos os países e achar que é só isso que conta.

Viver na Nova Zelândia é muito mais caro que no Brasil, especialmente se você escolher morar na capital e em cidades maiores. A grande diferença é que, por lá, o poder aquisitivo da moeda local também é maior, o que dá uma sensação de equilíbrio mais justa.

Ou seja, se você ganhar um salário-mínimo na Nova Zelândia, provavelmente viverá com menos, mas não passará os mesmos “apertos” como se fosse com um salário-mínimo brasileiro por aqui, entendeu?

Afinal, qual é o salário-mínimo na Nova Zelândia?

Atualmente, o salário-mínimo na Nova Zelândia é de NZ$ 17,70 por hora (janeiro 2020), o que dá, na conversão para a moeda brasileira, cerca de R$ 50,00 arredondados. Nada mal, né?

Levando em consideração que esse valor se refere ao salário-mínimo e que a maior parte das empresas neozelandesas oferece condições superiores a essa quantia, é possível viver muito bem no país, ainda que o custo de vida seja alto também.

De acordo com uma pesquisa, a Nova Zelândia está na lista dos 20 países com os melhores salários do mundo e a média de ganhos por lá gira em torno de NZ$ 3.634,28 mensais. Nada mal, não é mesmo?

Quais as dicas para quem pretende trabalhar na Nova Zelândia?

Agora que você tem uma noção melhor sobre o salário-mínimo na Nova Zelândia, é bom estar atento a outros fatores importantes. Em primeiro lugar, para se conquistar uma vaga legalmente, é imprescindível ter um visto adequado.

Quem pretende fazer um intercâmbio no país tem direito a trabalhar. Para conseguir uma vaga com mais facilidade, no entanto, vale contar com o suporte de uma agência especializada.

Por fim, vale ressaltar que é possível economizar bastante durante os estudos e até juntar uma grana boa para voltar ao Brasil. Para isso, há opções de morar com uma família local, buscar alternativas mais baratas de transportes, conhecer o país de forma mais econômica e, claro, buscar melhores oportunidades de trabalho.

Enfim, essas são nossas dicas sobre o salário-mínimo na Nova Zelândia e o seu custo de vida. Sem dúvidas, o país abre portas e permite que muitos estrangeiros realizem o sonho de uma vida de qualidade e um salário de verdade, o que inclui muitos brasileiros.

Se você quer fazer parte disso, não deixe para depois: consulte uma agência especializada e embarque em uma das experiências mais incríveis de sua vida!

Curtiu? Quer mais dicas legais para o seu intercâmbio na Oceania? Então, leia também nosso próximo post e descubra quais as melhores cidades para trabalhar na Nova Zelândia!

Mail